Acupuntura

      Trata-se, ao pé da letra, da aplicação de agulhas em pontos cuidadosamente determinados do corpo. Esses pontos são chamados “Acupontos”, ou seja, pontos de acupuntura. Sendo que, o termo Acupuntura, é uma adaptação de Zhen Jiu – “Agulha” “moxa” para os chineses – pela junção do latim “Acum” que significa agulha e “Punctum” que significa punturação.         

     Diferentemente do que parece o acupunturista não trabalha apenas com agulhas, e os mais de 400 pontos do corpo podem ser estimulados com diversos materiais e técnicas. Podem ser utilizadas agulhas, acupressão (Tuiná), aplicação de calor por moxabustão, Stiper (Stimulation and Permanency, ou estimulação permanente), esferas douradas ou prateadas, cristais radiônicos, ventosa, etc.                


  A acupuntura é uma ramificação da MTC e é entendida, hoje em dia, como uma terapia complementar segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde.
Portanto, durante uma sessão de acupuntura o profissional lançará mão de um ou mais destes materiais a fim de tornar o tratamento o mais completo possível e, desta maneira, reequilibrar o paciente de acordo com a sua própria necessidade. No tratamento com acupuntura o paciente é avaliado sob diversos ângulos sendo físico, emocional, psíquico, por hábitos alimentares, observação de língua e pulso.   Todos os sinais e sintomas obtidos a partir destas observações indicarão qual é o desequilíbrio energético do paciente, então o profissional poderá eleger quais técnicas utilizar em cada situação.               

    Além do tratamento em consultório, o profissional poderá orientar o paciente quanto a mudança de alguns hábitos alimentares e de práticas físicas.               

     Pelo fato de o equilíbrio da nossa saúde física e mental estar sob influência direta da alimentação e da prática de exercícios, é preciso compreender que a acupuntura vem como um auxílio à recuperação ou restabelecimento desse equilíbrio, ou seja, uma abordagem de tratamento e, na maioria das vezes, de manutenção da saúde. Contudo, pensar que apenas a acupuntura manterá uma pessoa saudável é um engano, por isso é preciso se alimentar corretamente e doar um tempo a si mesmo para fazer algum exercício físico.               

      Do ponto de vista ocidental a Acupuntura estimula neurologicamente alguns receptores específicos, modulando a atividade neurológica em três níveis: local, segmentar e suprasegmentar.               

     Existem diversos estudos sobre acupuntura e sobre os pontos de acupuntura. Hoje se sabe que os pontos de acupuntura tem um menor grau de impedância entre si do que pontos adjacentes. O grau de impedância é a intensidade da oposição do substrato biológico à entrada de uma determinada corrente elétrica (alternada). Sua medida é influenciada por variáveis do tecido biológico em questão.               

     Também é sabido que os pontos de Acupuntura correspondem ao locais de penetração das fibras nervosas na fáscia muscular. Sendo 309 pontos sobre terminações nervosas e 86 sobre inervação própria dos vasos sanguíneos. Outros diversos pontos são correspondentes aos pontos gatilhos, são pontos sensíveis ao toque e estão localizados na musculatura do corpo.                

     Voltando ao ponto de vista chinês, a acupuntura utiliza alguns pontos, dentre os mais de 400, de acordo com a sua função energética, sua ação sobre o meridiano e seu mecanismo em conjunto com outros pontos do mesmo meridiano e/ou pontos de outros meridianos.                  

     Temos pontos específicos para tonificar um meridiano que esteja deficiente de energia, para acalmar um meridiano que esteja com excesso de energia, para distribuir a energia e equilibrá-la entre os meridianos, para dar impulso à circulação da energia e das substâncias que nutrem o corpo, para acalmar a mente e promover concentração, etc.                  

     Assim, diagnosticada a disfunção energética do paciente, alguns pontos, técnicas de utilização em conjunto desses pontos e o tipo de estímulo para cada ponto, serão criteriosamente escolhidos para realizar o tratamento.


         O tratamento Tradicional Chinês, é determinado na sessão, de acordo com o diagnóstico feito naquele momento e é indicado para diversos tipos de incômodos. A terapeuta elege, então,  quais materiais e quais técnicas serão utilizados. Dentro da Medicina Tradicional Chinesa há um leque desses materiais e técnicas, sendo:


Acupuntura | Auriculoterapia | Auriculoterapia com cristais radiônicos | Cranioacupuntura  Quiroacupunutura | Moxabustão | Ventosaterapia | Orientação dietética | Orientação fitoterapêutica

© 2015 - 2018 Dra Marília Ariede.

Última atualização: 19/09/2019

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon